Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

sexta-feira, fevereiro 05, 2010

Por um cisco

Um cisco no olho me deixou no estaleiro por dois dias.
Nunca imaginei que uma coisa tão à toa pudesse causar tanto estrago, incômodo e aflição.
O cisco (ou corpo estranho, como dizem os oftalmos, o que me lembrou de imediato a hipótese de carregar comigo um alien olheiro) ficou cravado na córnea, coçando o globo ocular, irritando a mucosa, ferindo a pálpebra e me deixando em desespero.
Foi necessário que um oftalmologista me raspasse o olho com uma espátula para que o malvado saísse e depois esperar cicatrizar a pequenina lesão para que parasse de doer.
Fiquei inutilizada, invalidada, com um curativo tão grande na cara qual o Fantasma da Ópera pós-plástica. Não conseguia dirigir, não conseguia ler, não conseguia ver tv, não conseguia usar o computador, não conseguia ficar sob luz forte.

O que me leva, mais uma vez, a refletir sobre a nossa fragilidade física e moral.
Fosse isso a 10 mil anos atrás e eu, uma mulher das cavernas dependente da visão para fugir de predadores e alimentar a mim e à minha prole, tinha morrido, provavelmente.
E quanto à fragilidade moral, o fato é que, apesar do meu tão propalado estoicismo e capacidade de encarar as agruras e adversidades com a fleuma de um lord inglês arruinado, me vi às portas de um piti homérico ao enfrentar o segundo dia de dores intensas.

Deixo aqui um agradecimento público e amoroso ao Boêmio, que me levou e buscou das consultas e retornos médicos, fez comidinha, me alimentou, me cuidou e, graças ao seu carinho, paciência e ternura, impediu que eu me atirasse pela janela (se é que eu, cegueta como estava, seria capaz de achar a janela).

2 Comments:

Blogger Rubão said...

Não tem de quê. Nós, cegos, cuidamos uns dos outros.
bjks

2/05/2010 2:06 PM  
Blogger Adrina said...

Ah, nem imagino sua aflição. Deve ter sido péssimo!

2/05/2010 10:05 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home