Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

terça-feira, outubro 07, 2008

URGENTE

Querem fazer alguma coisa boa e séria pelo meio ambiente?

Então, o Parque Estadual do Rio Doce (PERD), maior fragmento de Mata Atlântica do estado de Minas Gerais, está ameaçado por um impacto de grande porte que é a construção de um aeroporto no seu entorno, uma área chamada pelo ecologistas de "zona de amortecimento" cujo uso da terra é restrito a apenas algumas atividades, justamente para servir como tampão a impactos que podem ameaçar a integridade florística e faunística do Parque.

A aprovação desse empreendimento está correndo à boca miúda, para que ninguém perceba, para que não haja tempo de ninguém reagir. A audiência pública é hoje. Ainda podemos nos manisfestar.

O Prof. Sérvio Pontes Ribeiro, da Universidade Federal de Ouro Preto (e, por coincidência, meu ex-marido) acaba de me mandar este email:

"Vamos tentar criar uma pressão contra a criação absurda deste aeroporto que a USIMINAS está propondo, dentro da zona de amortecimento do Parque Estadualdo Rio Doce. Para quem não está sabendo, há uma proposta em discussão hoje a tarde em uma audiência pública em um local super afastado, para aprovação deste projeto. Há um clima na região de fato consumado, e um apoio extremamente tendencioso do governo do Estado e de representantes do próprio IEF e outros agentes públicos, para um projeto que vai impor grandes e irrecuperáveis impactos no último fragmento contínuo e de grande porte de floresta atlântica em Minas Gerais. O projeto é de um aeroporto de capacidade para 360 mil passageiros/ano, dentro da zona de amortecimento doParque, e com pista virada para o mesmo. Por favor, mandem AGORA seu email ao promotor de Justiça de Ipatinga reclamando, de forma espontânea sobre esta obra. Se quiser, anexe a lista de perguntas abaixo, formuladas pelo colega Adriano. Obrigado a todos.

Att. Sérvio


Promotor de Ipatinga:
pj2ipatinga@mp.mg.gov.br

enviar A/C do Dr. Walter Freitas, promotor público de Ipatinga que foi escolhido para acompanhar todo o processo.

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Sérvio Pontes Ribeiro
Coordenador do Programa em Ecologia de Biomas Tropicais
Laboratório de Ecologia Evolutiva de Insetos de Dossel e Sucessão Natural - NUPEB
Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Universidade Federal de Ouro Preto Campus Morro do Cruzeiro, Ouro Preto, MG, Brasil - 35400-000 tel - 031 35591665 fax- 031 35591680 ++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Mande por favor o seu protesto espontâneo, mas pode anexar a seguinte lista de questionamentos e argumentos:

1- Porque não foi feito nenhum levantamento de dados primários no interior do PERD, em especial na região limítrofe ao empreendimento, e na porção centro-norte do parque, que está na ADA e se trata de região pouco estudadada da UC?

2- Quais os componente do meio biótico foram investigados?

3- Quanto de informação sobre a fauna e flora da Unidade de Conservação provavelmente mais bem conhecida do estado foi utilizado para a elaboração desse relatório? Se não tudo publicado, certamente o IEF tem todos os relatórios técnicos das pesquisas desenvolvidas. Caso não tenha, certamente os pesquisadores que lá trabalham poderiam contribuir com informações relevantes. Certamente a biota amostrada nos pontos fora do parque é uma sub-amostra pouco representativa do que tem no interior do PERD, como bem lembrou o Leandro

4- Imagino que o parque estará dentro da Área de manobra das aeronaves.O ruído provocado pelo pouso, decolagem e manobra dos aviões será substancial. O Único impacto indicado foi um genérico “Stress provocado pelo ruído de aviões na (sic) fauna”. Além do mais, é estranho que as mitigações propostas para esse impacto sejam um Plano de controle de desmate (?); um Plano de Reabilitação de Áreas Degradadas (?) e um Monitoramento e Resgate da Ictiofauna (bom, imagino que possa se tratar de um erro de Ctrl-C;Ctrl-V, não é?). O ruído dos aviões não provocará apenas “stress” sobre a fauna. Todo esse barulho provavelmente afetará processos biológicos básicos e importantes para a persistência de populações locais, que envolvem por exemplo, reprodução de aves, defesa de território e socialização em primatas e outros mamíferos, vocalização de anfíbios, etc. No pdf de empresa de consultoria não vi nada de consistente para tratar esse tópico.

5- Também nada foi mencionado sobre os impactos relacionados com o crescimento urbano no entorno do PERD provocado pelo aeroporto como pólo de atração de pessoas. Esse impacto, junto com a questão dos ruídos e a perda de conectividade (real e potencial), são as principais ameaças que vejo para o parque.

6- Quanto do Plano de Manejo da Unidade foi considerado quando da elaboração do EIA? Qual será a participação do Conselho Consultivo do Parque no processo?"

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Email enviado e ficamos na torcida...
abraço,
clara lopez

10/07/2008 7:55 PM  
Blogger : : Ju Sampaio : : said...

Mandei agora. Tomara que ainda dê tempo de alterar alguma coisa.

10/08/2008 4:55 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home