Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

sexta-feira, janeiro 16, 2009

Mães amigas

Uma amiga, quando tem que dar bronca nos filhotes, não os ameaça com palmadas. Ela diz assim: "Te dou um banho com bucha nova."
///---///---///---///

Outra amiga andava às turras com o filho de 14 anos, sendo o principal (e único) motivo ela ter proibido que ele varasse as madrugadas em frente ao computador jogando games pela internet.

O moleque então resolveu fugir de casa. E deixou um bilhete dizendo que ela não o procurasse. A mãe semi-enlouqueceu e foi procurá-lo na casa do melhor amigo (onde mais, né?).

Na volta, tentou ser compreensiva:
- Fugir de casa, meu filho? Que é isso? O que te aconteceu?
E ele:
- A minha vida é uma desgraça naquela casa!
Aí ela terminou de enlouquecer o que ainda não tinha enlouquecido:
- Desgraça?! Desgraça!? Desgraça eu vou te mostrar o que é, agora.

E dali foi direto pro Hospital João XXIII (o maior hospital público de BH). Chegou e ficou com ele na porta do pronto-socorro, disposta a passar a noite inteira, se preciso fosse.

E foi chegando gente esfaqueada, gente atropelada, gente baleada, gente queimada, gente estropiada de todos os jeitos e formas. E era polícia entrando, polícia saindo, polícia trazendo, polícia levando. E tinha pais chorando pelos filhos e filhos chorando pelos pais. E mulheres gritavam pelos maridos/namorados/filhos/irmãos. Sirenes de ambulância, viatura e rabecão. E desceu do ônibus um rapaz com um braço preso ao corpo só por um tendão. E veio outro rapaz, a pé por quilômetros, carregando o pai idoso às costas. Mães com crianças inertes nos braços. Havia desespero, dor e medo por todos os lados.

Lá pelas três da manhã, ela se vira pro garotão:
-Então, filho? Já viu bem o que é desgraça?
E o menino, pianinho:
- Já, mamãe. Me desculpa.

5 Comments:

Blogger K said...

O sobrinho da Lili fugiu de casa por causa de jogos no computador.
Vou aconselhá-la dizer à irmã que faça o mesmo.
Que bom que está de volta !

1/16/2009 1:34 PM  
Blogger MegMarques said...

Oi K! Que saudade!

Santa coincidência, foi a própria quem me contou a história. Somos colegas de trabalho.

mil beijos!

1/16/2009 5:00 PM  
Blogger Arnaldo said...

Acho que o menino devia, pra dar uma lição nessa mãe malvada, mostrar a ela o tanto de barbaridade que tem na Internet, pra ela dar graças a deus que ele passe as suas horas noturnas entretido com jogos.

1/17/2009 1:32 AM  
Blogger Raquel (NY) said...

Quando eu era adolescente e ficava muito dramatica sobre minha profunda infelicidade e as "injusticas" cometidas pelos meus pais minha mae sempre ameacava me levar no Leprosario Santa Isabel (que fica em Betim, acho). Funcionava todas as vezes. Nada como um choque de realidade, nao e?
Ah, feliz ano novo para voce, meninas e boemio.
Um abraco
Raquel

1/19/2009 6:12 PM  
Blogger Vivien Morgato : said...

genial.

1/21/2009 2:55 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home