Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

sexta-feira, outubro 22, 2010

Os sapatos e o consumismo

Desde o dia infeliz em que me dispus a contar os pares de sapato que tenho no armário, venho seguindo incomodada. Eram muitos os sapatos. A maioria só sai da caixa uma vez ao ano e olhe lá.

Não preciso e não quero meu armário abarrotado, minha consciência pesada, minha conta bancária vermelha e o mundo destituído de recursos naturais por conta da elegância dos meus pezinhos.

Vamos ser razoáveis?

No verão:
chinelo
sandália baixa
sandália alta

No inverno:
pantufa
sapato baixo
sapato alto
bota

Em qualquer tempo:
tênis

Oito pares. Número suficiente para enfrentar qualquer situação, de festa a supermercado. E só se desfazer de um par quando não der mesmo pra usar mais. É isso que eu quero.

Não vou recomendar a ninguém a simplicidade franciscana. Não somos santos. E consumir é preciso. Se não, a economia pára. As indústrias demitem. O comércio também. O setor agrícola idem. E nossa diversidade econômica é limitada, não temos muitas mais fontes de renda e riqueza.

Há tempos tinha decidido que vou usar meu velho carrinho popular (8 anos) até onde der. Só troco quando ficar realmente muito desvantajoso (quase está). O mesmo para o meu aparelho de celular (só tive 2 aparelhos até hoje) que já tem 4 anos. E também me recuso a trocar o velho notebook (5 anos) já que ele ainda atende a todas as minhas necessidades computacionais. Enfim, decidi que não vou trocar nada só por modismo ou porque apareceu novidade no mercado. Ainda que, nas reuniões com gente importante, eu seja a única a descer de um carrinho, usar um celular que não tira foto e ter um computador que pesa quase 3 kg.

Então, se vale para aparelhos e máquinas, tem que valer também pras outras coisas. Sapatos, roupas, etc.

Se me virem embarangada por aí, já sabem: estou tentando ser coerente!

1 Comments:

Blogger K said...

Meus celulares sempre são velhos e de segunda mão.Também não faço questão que tirem fotos ou toquem músicas.Não tenho carro e andamos muito a pé.Muito mesmo , tipo ir de casa ao shopping(mais ou menos 8km)Agora, tenho um fraco por roupas pra Valon.O que me consola é saber que vão ser usadas por muitas meninas depois dela.
Fabien é contra quebrar os azulejos da cozinha só porque não se usa mais aqueles quadradinhos com singelas flores cor de laranja e concordo com ele.O ambiente agradece.

11/14/2010 11:10 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home