Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

quarta-feira, abril 18, 2012

Itinerário parisiense

Demos sorte com o tempo nos primeiros cinco dias, estava até calorzinho no meio do dia. Dava para tirar os agasalhos e ficar só de camiseta ao sol.

Primeiro dia:

Praticamente só chegamos. O vôo aterrizou no fim da tarde e foi o tempo de ir para o apê, sermos recebidos pelo dono que nos deu as explicações necessárias sobre o funcionamento das coisas (onde pôr o lixo, como ligar a tv a cabo, senha do wi-fi, etc), fazermos umas comprinhas no supermercado do bairro para termos o que comer de café da manhã no dia seguinte. Aí já era noite fechada e nós estávamos exaustos, apesar da agitação que não nos deixou dormir direito.

Eu e o Boêmio tomamos a firme decisão de, em nossas viagens, usarmos sempre o transporte público, evitando táxi ao máximo. Isso significa uma economia que, ao fim e ao cabo, pode ser substancial e nos permite apreciar melhor como é odia-a-dia da população nativa. Então, em vez de gastar pelo menos 50 euros num táxi do aeroporto de Orly pro apartamento, gastamos só 7,00 (cada um) num ônibus que liga o aeroporto à estação de metrô mais próxima e ali compramos um Passe válido por uma semana que nos permitiu rodar a cidade toda gastando muito pouco. Além do Passe de transporte (que se chama Navigo), compramos também um Passe Museu (ParisMuseumPass), que permite visitar gratuitamente, por um período determinado de dias, um monte de museus e atrações sem precisar pegar fila. Fica muito em conta.

Segundo dia (Île de la Cité):

-Notre Dame. Visitamos a catedral mas não subimos às torres. Enorme, imponente, um pouco aterradora, projetada especialmente para fazer com que nos sintamos um pouco oprimidos.


-Cripta Arqueológica, pertinho da Notre Dame. Na minha opinião, não deixa de ser interessante e tem seu apelo devido principalmente à antiguidade. Mas caso o tempo seja muito curto, não é um passeio que eu recomendaria como prioritário.

-Sainte Chapelle. Sim, esta é prioritária. Das coisas mais lindas que eu já vi. Eu já tinha ido há 18 anos atrás, mas fiz questão de ir de novo e levar Rubão. Parece toda feita de vitrais coloridíssimos quase nao se vê as pedras e colunas que os sustentam. Foi construída para abrigar as relíquias que o rei Luís IX comprava a preços exorbitantes de vários picaretas ao redor do mundo então conhecido. Dizem que ele tinha lá a coroa de espinhos, um pedaço de madeira da cruz, um vidrinho com leite da Virgem Maria, outro com o sangue de Jesus, etc.


-Mercado das Flores. Um mercado bem grande, com plantas, decorações e coisas para jardins em geral. Não é exatamente uma atração turística, mas fica bem perto da Sainte Chapelle e é uma delícia passear por lá. Como eu e mon amour adoramos ficar pensando em como podemos embelezar e enfeitar ainda mais o nosso jardinzinho, gostamos muito do lugar, tanto que voltamos mais vezes ao Mercado.

-Igreja de Saint Germain de l' Auxerrois. Uma das mais antigas de Paris, construída pela primeira vez ainda no século V. Quando estávamos entrando, os sinos começaram a tocar e, para minha grande surpresa, tocavam música de verdade, não simplesmente um bleng-bleng-bleng, mas música com melodia, harmonia, ritmo!!! Nunca tinha ouvido isso, fiquei sentada nas escadarias do portão um bom tempo escutando a música, completamente aturdida com essa maravilha. Não é tão impressionante como a Notre Dame, mas muito mais acolhedora.

-Rue du Tivoli. Passeio pelas famosas arcadas, desfrutando a cidade. Simplesmente flanamos por ali.

-Museu de Artes Decorativas. Muito bom, abriga várias coleções num só lugar, equivalendo a 4 museus e está instalado num palácio muito bonito. Tem uma coleção de Arte Decorativa propriamente dita: móveis, utensílios e objetos de arte de várias épocas e lugares do mundo. Tem exposição permanente de Moda e Têxteis que vai desde 1700 (mais ou menos) até os dias de hoje. Tem um espaço sobre Publicidade, mostrando a evolução de peças e estratégias publicitárias ao longo do tempo. E por fim tem uma coleção fantástica de um antigo colecionador de arte, que foi o fundador do Museu. Nós adoramos, ficamos moídos de tanto andar lá dentro, mas não queríamos sair antes de ver absolutamente tudo.


3 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Olá! Estou conhecendo seu blog agora! Vou para Paris em julho, e vou chegar em Orly! Seria demais perguntar como pego esse ônibus para a estação de metro mais próxima???
Obrigada se puder me ajudar!
Abraço,
Ana

5/01/2012 5:16 PM  
Blogger Rubão said...

Oi Ana,

faz o seguinte:
Na saída do desembarque, tu já com as malas na mão (quem tá respondendo é Rubão Maridovsky, não sei se percebes), sai do aeroporto. Logo em frente, atravessa uma ruazinha, está no ponto de ônibus. Não me lembro se na saída de Orly sud ou Orly est, mas o bus deve passar nas duas. Não importa: basta que, antes, procure o balcão de informações turísticas do aeroporto (moleza). Lá, você pede (english or francé) o tíquete do orlybus. Ok. Vá para o ponto de ônibus e pega o bichão para descer em Denfert- Rochereau. Aí, nesta estação, você vai ao guichê e compra o tíquete de metrô. Lá tem várias linhas levando a vários lugares. Você precisa conhecer quais são as linhas que passam nesta estação de Denfert-Rochereau que lhe servem. Dica> se ficar poucos dias, vale a pena comprar dez tíquetes de metrô de uma vez (sai mais barato por tíquete), ou, se ficar em Paris começando numa segunda ou terça-feira, comprar o passe Navigo (o que fizemos). Leve uma fotinha 2x3 (uma 3x4 recortada, ou impressa no computador nessas medidas) e ande a la vontê pelo metrô e ônibus. O navigo pra nós foi a salvação da lavoura. 5 euros o cartão, mais valor x para as zonas de Paris que tu vai andar, tudo liberado (e o passe dura a vida inteira, tu carrega ele pra casa pra quando voltar).
Para saber mais sobre as opções de passes, entre aqui http://www.ratp.fr/fr/ratp/c_20585/titres-tarifs/.
O conhecimento do mapa do metrô com as linhas é essencial. E bon voyage.

5/03/2012 10:54 PM  
Anonymous Ana S. said...

Muitíssimo obrigada pelas dicas!!! Vou aproveitar muito!
Já estou afeiçoada a vocês, fui lendo o blogue do início até chegar aqui de novo! É como quando a gente gosta de um livro e vai ficando amiga dos personagens. E aí o livro vai terminando e vai dando aquela saudade. :) Espero que a Meg continue escrevendo, e vou visitar você também lá no Boêmios.
Torço muito por vocês, de verdade.
Bisous et merci beaucoup! :)

6/07/2012 11:50 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home