Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Cultura Inútil

Admito que sou a rainha da cultura inútil. Adoro colecionar informações desencontradas e desconexas que não me servem pra nada além de me deixar feliz e, quem sabe, ganhar pontos jogando Master.
Uma amostra: vocês sabiam que o cavalo branco de Napoleão era branquinho mesmo? Era um Puro-Sangue Árabe chamado Vizir e foi dado a Bonaparte pelo xá da Pérsia. Acompanhou Napoleão por quase 20 anos em suas campanhas de guerra. Está exposto, taxidermizado, no “L’Hôspital des Invalides”, atual Museu da Guerra de Paris. Junto a ele estão a tenda de campanha em que seu dono dormia e vários utensílios pessoais do imperador, quando em viagem para o front.
Obviamente, o museu tem um monte de dados históricos muito mais importantes e significativos que esse. Mas foi o Vizir quem me prendeu a atenção e é só dele que eu me lembro em detalhes.
///---///---///---///

Eu tenho tanta, mas tanta coisa importante pra fazer...e só tenho vontade de ficar aqui, conversando fiado no buteco.
///---///---///---///

No outro dia rolou uma conversa sobre Rousseau. Eu discordo da idéia de que o homem nasce bom e a sociedade o torna mau. Acho que se não fossem os pais, a escola, a sociedade enfim, que ensinasse às criancinhas o que é certo e errado, bem e mal, seríamos todos uns monstrinhos egocêntricos e cruéis, sem limites nem moral.
Há polêmica?

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Esta é de bar e é muito útil. Discutindo uma tese sobre café, assistida por um colega, descobri que de fato o coador de papel melita retém certos compostos responsáveis pelo sabor do café, confirmando que a preferência pelo café coado no pano não é frescura, é sensibilidade de viciado. Igualmente, o café funciona para desintoxicar células de fígado de cobais desnutridas, provando que o cafezinho do pobre é mais que um consolo, é remédio! Ciência também é cultura!

2/07/2006 3:14 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home