Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Criancinhas e sua (boa ou má) educação

Sou mãe de duas meninas medianamente bem-educadas. E por boa educação refiro-me não só aos bons modos à mesa, a dizer por favor e obrigada, cumprimentar e etc mas também, e principalmente, àquela suavidade civilizada difícil de se definir, à maneira cortês e gentil de tratar com os semelhantes e os dissemelhantes. Enfim, refiro-me a essa coisa vaga, mas perceptível, que faz com uma dama seja uma dama e um cavalheiro seja um cavalheiro, mesmo que a dama seja faxineira por profissão e o cavalheiro lave os carros no estacionamento do seu trabalho. E digo que minhas filhas são medianamente bem-educadas porque conheço outras crianças muito mais educadinhas que elas (eu fui uma) e também já vi monstrinhos bem piores.

Mas isso foi só para contextualizar o que tenho a dizer. E o que tenho a dizer é o seguinte: crianças são seres que chegaram ao mundo muito recentemente. Ainda não conhecem ou não assimilaram perfeitamente as regras de comportamento social, ainda não descobriram como o jogo realmente funciona. Não bastasse a ignorância completa com que vêm ao mundo, são seres extremamente emocionais e pouco racionais, desprovidos da capacidade de se colocar no lugar do outro, de medir as consequências dos seus atos e pensar a longo prazo. Isso é coisa pra gente grande.

Por tudo isso e algo mais, acho perfeitamente normal que qualquer criança eventualmente dê algum vexame, faça birra, seja rude, se comporte mal. É desculpável e não me perturba.
O que me incomoda muito é ver situações em que, diante do péssimo comportamento do rebento, seus pais não façam NADA. Isso sim me deixa absurdada.

Um moleque pode até gritar, bater nos coleguinhas, ter ataques de fúria. É normal, ele não sabe que isso é errado. O que é anormal, inadmissível, é que os pais não tenham uma palavra de censura, que não informem à criatura que aquilo é de fato errado e não indiquem qual é a atitude adequada.

Da próxima vez que você encontrar alguma criança muito mal-educada e pai e mãe fazendo cara de paisagem, ofereça-se para dar uma palmada... nos pais.
///---///---///---///

Certa vez ouvi a seguinte definição: "criança bem-educada é aquela que não incomoda os adultos." Na hora até arrepiei, achei uma coisa meio nazista, de colégio de freiras onde se apanhava de palmatória.

Depois, pensando melhor, achei que havia um grande fundo de verdade nisso. Educar bem é dar aos pequenos ferramentas sociais eficientes de modo que eles tenham suas necessidades de realização satisfeitas, sem estorvarem o ambiente ao redor.

6 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Filhinha
Adorei este teu post.
Senti-me plenamente realizada.
Beijinhos da
Mãe

2/06/2009 4:09 PM  
Blogger Mãe na Medida said...

Meg,
apesar de comentar pouquíssimo, continuo achando seus post geniais.
Adoro.
DeBH

2/07/2009 9:43 PM  
Blogger K said...

Concordo absolutamente com tudo!

2/09/2009 9:40 AM  
Anonymous Simone said...

Oi, Meg! Deixei um selo para vc lá no blog.
Bjs

2/09/2009 2:57 PM  
Blogger Vivien Morgato : said...

Quando trabalhava com crianças e préadolescentes ...e quando eles eram foda....tinha calafrios em pensar que teria que fazer reunioes com os pais.

2/09/2009 3:48 PM  
Blogger Luciana Onofre said...

Olá!
Colocamos seu blog em nosso diretório “Mamys Blogs”

Visite-o ;)

http://mammysblogs.blogspot.com/

2/09/2009 9:58 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home