Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

quinta-feira, abril 26, 2012

Itinerário parisiense VII

Nono dia:
Rouen

Não que estivéssemos cansados de Paris, mas queríamos aproveitar para ver outras cidades da França e fomos, num bate-e-volta, a Rouen, capital da Normandia, onde a pobre Joana D'Arc foi queimada viva.  

Pegamos o trem bem cedo e em pouco mais de uma hora estávamos lá. Sendo tão perto, impressiona como Rouen é diferente no clima, na atmosfera geral da cidade, na arquitetura. Esta última é toda em estilo normando, com grandes traves madeira aparente e argamassa fechando os vãos, um sistema de construção chamado enxaimel. 




A cidade é toda assim, ruas e ruas, coisa mais linda!
O centro histórico de Rouen não é grande, dá pra passear tudo a pé sem ficar exausto e sem perder muito tempo. E o Centro de Informações turísticas, localizado bem em frente à catedral (era de lá que Monet pintava) é um primor no atendimento.

Também em Rouen há uma Catedral de Notre Dame, que Monet pintou muitas e muitas vezes, de manhã, ao sol do meio dia, de tardinha, em dias de chuva, em pleno verão, coberta de neve, etc. Não tão grande quanto a de Paris, mas impressiona muito.

Ali estão os túmulos dos primeiros duques da Normandia, entre eles o Ricardo Coração de Leão, que também era rei da Grã Bretanha, mas não dava muita bola para as suas terras além do canal da Mancha. Eu fiquei lembrando das histórias de Robin Hood, Ivanhoé, das cruzadas, do João-Sem-Terra e quase-quase chorei.

Além da catedral fomos ao Aitre St. Maclou, um cemitério, ou melhor, uma necrópole que nada tem de sombrio ou mórbido, pelo contrário, é bem animado. Até porque hoje funciona ali uma escola de belas-artes e a alunada faz intervenções pelos bancos, gramados e fica por ali se refestelando quando o tempo está bom.

De lá ao torreão que sobrou do antigo castelo onde Joana esteve presa, o Donjon Joana D'Arc.

Dali à antiga praça do mercado, onde ainda funciona um belo mercado de frutas, flores e frutos do mar, onde foi montada a fogueira que a queimou. No local das execuções, foi construída uma igreja toda moderna e muito, muito bonita. No caminho passamos pelo Grande Relógio da cidade.

Almoçamos regaladamente e durante a tarde fomos ao Museu de Belas Artes, que tem uma boa coleção de pintores franceses de todos os tempo e ao Museu Le Secq de Tournelles, especializado em objetos de arte ou utilitários feitos de ferro, com os quais ficamos encantados e nos deu vontade de trocar todas as ferragens de casa.. 

Também aqui mon amour encontrou o seu espaço preferido!

De noitinha, voltamos a Paris.

4 Comments:

Blogger Rubão said...

O museu das ferragens foi um dos mais legais.

4/26/2012 5:12 PM  
Blogger MegMarques said...

Também gostei muito. E até isso foi surpreendente! Nunca podia imaginar que na França nós íamos nos encantar com ferragens antigas.
Beijos, amor, e obrigada por insistir em ir a esse museu!

4/26/2012 7:44 PM  
Blogger K said...

Estou rindo (deveria chorar, na verdade).Ja fui a Rouen 5 vezes e te garanto, você me deu uma aula sobre a cidade. Muito que eu não sabia e muito ainda por conhecer .
Talvez eu va de novo, dia 25 de maio para um casamento . E ai vou poder olhar novamente a cidade, dessa vez através de seus olhos.

4/27/2012 8:27 AM  
Blogger MegMarques said...

Kathinha,

acho que faz toda a diferença ir num lugar para turistar e ir pra visitar família. Quando for de novo, vá até o centro de informações e peça o mapa da cidade, todas as atrações históricas estão marcadas e são mais ou menos próximas. Vc vai adorar!

4/27/2012 7:52 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home