Mesa de Bar

Lugar pra se falar sobre tudo e sobre o nada.

Minha foto
Nome:
Local: Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Sóbria, a maior parte do tempo. Na mesa de um bar me torno mais corajosa, mais sensível, mais emotiva, mais generosa. No bar e com umas cervejas a mais, as dúvidas se dissipam, as certezas afloram, as tristezas caem fora e a alegria reina. Sim, na mesa de um bar eu sou uma pessoa melhor do que fora dela.

sexta-feira, junho 24, 2011

No photos, please!

Coisa que nos irritou na Itália: turistas tirando fotos em lugares proibidos.


Apesar das minhas crises egocêntricas diante de uma ou outra obra-prima (vontade de pôr aquela gente toda pra fora e apreciar sozinha as maravilhas do Uffizi ou do Vaticano), consegui conviver bem com as hordas.

Mas achei o fim do mundo a moçada que, na maior cara-de-pau, tirava fotos dentro dos museus, apesar das placas com avisos e apesar de advertidos pelos seguranças. Na Capela Sistina foi um horror mesmo, a cada 10 segundos um segurança tinha que dar um berro de "NO PHOTOS, PLEASE" e o pessoal nem aí, continuavam a fotografar sem o menor constrangimento.

Por outro lado, acredito na boa-fé da humanidade e acho que os turistas fazem isso por ignorância e não por maldade. A maioria dos turistas acha, acredito eu, que são proibidos de fotografar apenas para serem obrigados a comprar os postais à venda nas lojinhas dos museus. Eles não sabem que estão danificando as pinturas. Ninguém ensinou a eles que a luz do flash das máquinas provoca uma reação de foto-oxidação nos pigmentos das tintas e que isso, ao longo do tempo, vai descolorindo e destruindo os belos quadros que eles tanto admiram.

Falta um verdadeiro programa de Educação para o Turismo nos principais destinos do mundo. Numa bela igrejinha de Roma, uma americana tirava fotos sem parar, a despeito da placa na entrada. Não havia nenhum segurança. O Boêmio ficou irritadíssimo, quase foi bater boca com a mulher. Mas, sendo a igreja de Santa Maria da Bondade, achei que uma briga era ainda pior que os flashes.

Então, fica o meu pedido aos meus poucos leitores: nunca tirem fotos de quadros antigos (nem modernos, aliás) com flash. Orientem e expliquem aos seus amigos e companheiros de viagens porque não devem fazê-lo. O patrimônio histórico e cultural da humanidade agradece.

1 Comments:

Blogger Tina Lopes said...

Flashes e aquela luzinha vermelha anti-olhos vermelhos. Aquilo me dá agonia. Realmente, na Itália, achei que faltam mesmo monitores nos museus e guarda-volumes para deixar tudo, inclusive máquinas.

6/24/2011 11:37 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home